Wednesday, 8 December 2010

"O Dardo de Kushiel" e "A Marca de Kushiel", Jacqueline Carey

Título Original: Kushiel's Dart (2001)
Autor: Jacquelina Carey
Editora: Saída de Emergência
Nº Páginas: 392
ISBN: 978-989-637-185-2
Género: Literatura Fantástica

Sinopse: "TERRE D'ANGE é um lugar de beleza sem igual. Diz-se que os anjos deram com a terra e a acharam boa... e que a raça resultante do amor entre anjos e humanos se rege por uma simples regra: ama à tua vontade. Phèdre é uma jovem nascida com uma marca escarlate no olho esquerdo. Vendida para a servidão em criança, é comprada por Delaunay, um fidalgo com uma missão muito especial... Foi, também ele, o primeiro a reconhece-la como a eleita de Kushiel, para toda a vida experimentar a dor e o prazer como uma coisa só. Phèdre é adestrada nas artes palacianas e de alcova, mas, acima de tudo, na habilidade de observar, recordar e analisar. Espia talentosa e cortesã irresistível, Phèdre tropeça numa trama que ameaça os próprios alicerces da sua pátria. A traição põe-na no caminho; o amor e a honra instigam-na a ir mais longe. Mas a crueldade do destino vai levá-la ao limite do desespero... e para além dele. Amiga odiosa, inimiga amorosa, assassina bem-amada; todas elas podem usar a mesma máscara reluzente neste mundo, e Phèdre apenas terá uma oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido."

Título Original: Kushiel's Dart (2001)
Autor: Jacquelina Carey
Editora: Saída de Emergência
Nº Páginas: 412
ISBN: 978-989-637-220-0
Género: Literatura Fantástica

Sinopse: "Para trás ficaram Terre d'Ange e as intrigas palacianas, a Corte das Flores da Noite, os amados Delaunay e Alcuin, os amigos, patronos e tudo o que para Phèdre evoca a palavra "casa"... Para trás ficaram também a herdade e a familiaridade da sua ternura tosca, a gentileza das suas mulheres e a beleza das suas cantigas... Diante de Phèdre abre-se agora a incógnita de um destino de cativeiro às mãos do cruel Waldemar Selig, no ambiente hostil da sua herdade e das suas gentes... O desvendar da ameaça que paira sobre Terre d'Ange, dos planos de um poderoso comandante e dos traidores d'Angelines. Pela pena de Phèdre, afrontamos o Mais Amargo Inverno através da vastidão skáldica. O retorno a Terre d'Ange e a oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido. Traição, guerra, desafio, imolação, amor e redenção. Logrará Phèdre fazerjus à Marca de Kushiel e concretizar esse sonho tão ansiado?"

Opinião: Jacqueline Carey é uma extraordinária escritora. "O Dardo de Kushiel" (dividido em dois livros em Portugal) é uma obra exímia. Simplesmente brilhante! É difícil lembrar-me da última vez que li uma epopeia fantástica tão saborosa, e viciante, como esta.  

Carey criou um universo rico em personagens que não deixam de fascinar nos fascinar. Entre estas temos: Phèdre nó Delaunay, uma serva de Naamah (por outras palavras, uma cortesã), comprada por Delaunay ("um fidalgo com uma missão muito especial") aos sete anos, marcada por Kushiel  e com capacidades de tal forma desenvolvidas que a tornam uma espia talentosa; Hyacinthe, um Tsingani, auto-intitulado "Príncipe dos Viajantes", amigo de Phèdre desde de infância; a Joscelin Verreuil, um convicto Cassiline (pertence a uma ordem de sacerdotes criada por Cassiel, com o dever de "proteger e servir" e honrar os seus votos acima de tudo) contratado por Anafiel Delaunay para proteger a sua casa e os seus pupilos (Phèdre e Alcuin).

Na minha opinião, as personagens, o seu desenvolvimento e a forma como todas estão envolvidas na trama - pois todas têm um papel, por mais mínimo que seja - é um ponto forte do livro. Tal como a escrita da autora. A história no ponto de vista de Phèdre nó Delaunay encontra-se maravilhosamente bem contada.

O mundo fantástico de Carey é um mundo recheado de povos e culturas. Todos com semelhanças com os povos que habitaram a Europa ao longo dos tempos. Temos viquingues, homens criados na gélida Skaldia com Thor; os ruivos de Dalriada, seguidores do culto celta; e por fim temos um cheirinho das tradições da antiga Hellena. Parece uma Europa mediaval alternativa.

E claro, folclore judeu: Elua filho do sangue Yeshua ben Yosef, filho do Deus Um, e das lágrimas Magdalene. Criador da Terre D'Ange, os D'Angelines seguem o  mote de Elua, "Ama à tua vontade" (o amor e prazer físico é um dos principais aspectos da sociedade D'Angeline). Assim, na cidade de Elua encontra-se a Corte das Flores Da Noite formada por treze casas onde os servos de Naamah são ensinados a arte da alcova.  

Recomendo Jacqueline Carey e o "Legado de Kushiel", um saga com tanto para ofercer que nos deixa a desejar por mais, muito mais. O próximo livro da saga, já publicado em Portugal a primeira parte, é "A Eleita de Kushiel".  

2 comments:

  1. Estou louca por ler esta série. Tenho o primeiro volume emprestado cá em casa, ainda da edição antiga (embora ache a capa nova simplesmente perfeita e muito mais atractiva) mas infelizmente ainda não lhe consegui pegar. E o pior é que só leio opiniões e comentários excelentes acerca tanto da história como da própria escrita da Carey. Espero conseguir pegar-lhe em breve :)

    Beijinho

    ReplyDelete
  2. Carey é uma escritora exímia e criou um mundo simplesmente fascinante. Espero que pegues no livro em breve e ler a tua opinião.

    Bjs

    ReplyDelete