Thursday, 24 March 2011

Booking Through Thursday: Séries

   Series? Or Stand-alone books?

Nunca participei neste pequeno desafio semanal, mas como desde o final de Fevereiro não actualizo "My Lovely Secret" achei que seria uma boa maneira de mostrar que ainda estou viva e pronta a ler e a partilhar as minhas experiências. 

Series ou stand-alone livros? É uma pergunta difícil de responder. Muito difícil!  

A maioria dos livros que adquiro fazem parte de séries - muitas vezes apenas descubro, após a conclusão da leitura, que existe uma sequela - e confesso que muitas destas fazem parte das minhas leituras predilectas: "Harry Potter" de J.K. Rowling, a série Mercy Thompson de Patricia Briggs, "Fever" de Karen Marie Mooning, "Laços de Sangue" de Jenniger Armintrout... Um dos lados positivos das séries é que podemos ver a evolução das personagens ao longo de mais de mil páginas; exploramos um pouco mais as suas características e como reagem perante diferentes mundos. Claro, isto se o escritor não estiver simplesmente a escrever "para vender e obter lucro fácil" - os escritores deviam saber que o que é demais é erro; tantos livros podem arruinar o potencial de um trabalho exímio e intemporal.

O meu único problema com as séries é quando não são publicadas até ao final. Sou um dos poucos fãs de Robert Jordan - este deve ser o meu escritor preferido até ao momento - e não poderei desfrutar dos restantes livros da série, na minha língua materna. O quarto livro, e último publicado em Portugal, da saga "A Roda do Tempo" ainda se encontra em cima da mesa de cabeceira sem ser tocado, pois quando este for lido não terá continuação - o que parte o meu coração. Outro problema é o tempo que as sagas demoram a ser publicadas - quando todos os livros já foram publicados no estrangeiro. Não estou a falar de meses, mas sim de anos. Uma série em que o primeiro livro me encantou, só dois anos depois vai ver a sua continuação publicada e não sei se irei adquirir a obra.  

Contudo existem excelentes stand-alone livros ("Sangue-do-Coração" de Juliet Marillier, "Persuasão" e "Orgulho e Preconceito" de Janes Austen, "A Mecânica do Coração" de Mathias Malzieu...). Eu sei que alguns stand-alone tendem a ser volumosos e pesados - mas o que é que isso importando quando tem tanto para nos oferecer? Em muitos livros uma saga apenas destruiria o que nos encantou no primeiro.  

Acho que esta questão terá de ficar sem resposta - é uma escolha muito díficil para um rato de biblioteca. Num universo de escritores tão diferentes (que nos oferecem personagens que tantas vezes desejamos serem reais) cada um escreve uma história com o seu ingrediente especial - por vezes um ingrediente secreto não é suficiente para mostrar todo o Mundo por si escrito e existe a necessidade de um novo ingrediente criando-se uma mistura deliciosa.          

No comments:

Post a Comment